Buscar
  • Dra Elisabete Castelon

APOIANDO A CRIANÇA NA ESCOLA: CARTILHA INFORMATIVA PARA PAIS E PROFESSORES

APRESENTAÇÃO

           

O Programa de Apoio ao Aprendizado da Criança (PROAAC) é um projeto de extensão da Faculdade de Ciências da Saúde (FCS) da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). Originou-se a partir da iniciativa dos alunos do Curso de Medicina, orientados por mim (Elisabete Castelon Konkiewitz). Foi elaborado com a intenção de promover, através de diferentes projetos, a melhoria no atendimento das crianças com transtornos de aprendizado e comportamento, assim como a conscientização e a comunicação entre as diversas áreas do saber e entre as mesmas e a sociedade sobre este tema.


Uma das metas dos membros do PROAAC é articular com diferentes instâncias da sociedade, no sentido de conscientizar a respeito da importância da estruturação de um Centro de Atendimento e Apoio à Criança com Transtornos de Aprendizado e Comportamento, devendo este contar com a presença de médicos, enfermeiros, psicólogos, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, psicopedagogos, dentre outros profissionais. Este centro, além de propiciar melhor atendimento, estaria vinculado à pesquisa, na busca de melhores estratégias de prevenção, diagnóstico e tratamento destes transtornos.


O PROAAC engloba atualmente as seguintes atividades:


  • Estruturação de um ambulatório de atendimento especializado a crianças com dificuldades de aprendizado e comportamento na escola.

  • Realização periódica de palestras, em escolas públicas, destinadas aos pais, professores e interessados sobre os problemas de aprendizado e comportamento da criança.

  • Elaboração desta cartilha.

  • Elaboração de um livro para pais e professores sobre os transtornos de aprendizado e comportamento mais freqüentes na infância com enfoque em orientações práticas. Publicação prevista para 2010.

  • Elaboração de um livro em parceria com outras instituições de ensino e pesquisa sobre os mais diversos aspectos teóricos, clínicos e práticos relacionados aos transtornos de aprendizado e comportamento da criança. A sua publicação está prevista para 2010.

O PROAAC tem suas atividades integradas ao grupo de pesquisa PROCACE (Projeto de Estudo do Comportamento e Aprendizado da Criança na Escola).



INTRODUÇÃO

Crianças são como uma semente: já contêm todo o potencial do que virão a ser, mas este potencial só se tornará realização, quando as condições o permitirem. Assim como cada semente precisa de solo, nutrientes, luz e umidade na medida certa para o seu desenvolvimento, cada criança, pelas suas particularidades, merecerá o seu cuidado.


Uma grande árvore suporta muitos maus tratos, mas a plantinha precisa de proteção. Os primeiros cuidadores são os pais, ou as pessoas que ocupem este lugar. Em seguida, vem a escola. Desta forma família e escola são o mundo da criança.


Todos nós ouvimos falar de crianças com dificuldade de aprendizado, crianças agressivas, violentas, sem limites, crianças que torturam as outras, enfim crianças com sérios distúrbios. Esta situação faz surgir nos pais um sentimento de culpa, por não saberem a origem do problema, um sentimento de incapacidade, por não saberem o que fazer, mas também um sentimento de revolta diante daqueles que não aceitam seu filho, diante dos profissionais que não se empenham em ajudar e diante da vida como um todo, que então lhes parece injusta. Também há aqueles que negam os problemas, colocam a culpa em outras pessoas, afastam-se e escondem a cabeça como o avestruz.


O professor, por sua vez, deparando-se com uma criança com problemas de comportamento e aprendizado, sente-se, de início, talvez até estimulado com um novo desafio, mas muito rapidamente percebe seus limites em poder ajudá-la. Ele, muitas vezes, não encontra recursos disponíveis, seja em relação ao material didático, seja pela falta de espaços adequados para realização de atividades especiais, seja pelo fato de ter que se desdobrar entre a atenção exigida pela criança e as inúmeras outras na sala de aula. Outra dificuldade é não ter acesso a outros profissionais que poderiam orientá-lo em como melhor lidar com a criança. O professor se vê diante de um problema para o qual não foi preparado durante a sua formação acadêmica, pois estas crianças com transtornos de comportamento e aprendizado precisam de avaliação de profissionais da saúde.  Só assim poderá ser estabelecida a natureza da sua dificuldade e uma estratégia adequada de apoio e tratamento.


As causas dos transtornos de aprendizado e comportamento da criança são inúmeras: pode haver uma alteração neurológica, como na paralisia cerebral, uma alteração psiquiátrica, como na depressão e, na maioria das vezes, uma combinação de transtornos. Assim, uma única criança pode ter ansiedade, depressão e dificuldade de alfabetização, ou hiperatividade, transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) e tiques, ou problemas sérios de conduta e déficit intelectual.

O desempenho escolar de uma criança depende de fatores constitucionais, como as suas capacidades, suas dificuldades e o seu potencial, mas também da relação que ela consegue estabelecer nos ambientes em que vive, ou seja, na escola e na família. A forma como os pais e os professores orientam, ensinam, corrigem e respondem às necessidades e anseios da criança é decisiva para um resultado de sucesso, ou fracasso.


Sendo assim, a intenção desta cartilha é fornecer aos pais e professores algumas orientações básicas no manejo de crianças com transtornos de aprendizado e comportamento. No entanto, estas mesmas orientações são válidas para todas as crianças de um modo geral.

Houve uma preocupação em usar uma linguagem bastante acessível e desprovida de termos técnicos, mas, apesar de o texto ser simples e informal, o seu conteúdo é baseado nos resultados de estudos científicos das áreas da medicina e da psicologia.


Boa leitura!


QUERIDA MÃE, QUERIDO PAI:



AS ORIENTAÇÕES ABAIXO SÃO PARA VOCÊ, QUE ESTÁ ENFRENTANDO PROBLEMAS COM O DESEMPENHO, OU O COMPORTAMENTO DO SEU FILHO NA ESCOLA.


CADA CRIANÇA TEM AS SUAS CARACTERÍSTICAS PRÓPRIAS E NECESSITARÁ DE AVALIAÇÃO, ACONSELHAMENTO E AJUDA INDIVIDUALIZADA. NO ENTANTO, SEJA QUAL FOR A DIFICULDADE, OU O DIAGNÓSTICO DO SEU FILHO, AS RECOMENDAÇÕES QUE SEGUEM SÃO A BASE PARA QUALQUER ESTRATÉGIA DE TRATAMENTO, OU APOIO A ELE.


NA PRÁTICA, TUDO SERÁ MAIS DIFÍCIL. NADA ACONTECERÁ DE REPENTE. MESMO AS MAIS PEQUENAS MUDANÇAS EXIGIRÃO ESFORÇO E SACRIFÍCIO, MAS NÃO DESANIME. SIGA SEMPRE EM FRENTE COM FÉ E PERSEVERANÇA!


1. COLABORE COM A ESCOLA DO SEU FILHO. VÁ ÀS REUNIÕES, PROCURE SABER O QUE ESTÁ ACONTECENDO NÃO SÓ COM ELE, MAS COM TODA A ESCOLA. AJUDE PARA QUE ELA SE TORNE UM AMBIENTE MELHOR. ORGANIZE UMA COMISSÃO DE PAIS. A ESCOLA É UM ESPAÇO DA SUA COMUNIDADE E ONDE SEU FILHO PASSARÁ GRANDE PARTE DO DIA. CUIDE DELA.


2. SE SEU FILHO ESTÁ TENDO DIFICULDADES DE APRENDIZADO, OU ALTERAÇÕES DE COMPORTAMENTO, NÃO PENSE QUE ISTO É PASSAGEIRO E NORMAL. PROCURE SABER O QUE REALMENTE ESTÁ ACONTECENDO. INFORME-SE COM OS PROFESSORES DELE. PROCURE AJUDA DE OUTROS PROFISSIONAIS. LEIA SOBRE O ASSUNTO. NÃO DESISTA. QUANTO MAIS CEDO VOCÊ AGIR, MAIORES SERÃO AS CHANCES DE VENCER O PROBLEMA.


3. SE O SEU FILHO TEM UM TRANSTORNO DIAGNOSTICADO, NÃO ESCONDA. EXPLIQUE PARA OS SEUS PROFESSORES QUAIS AS DIFICULDADES, COMO ESTÁ SENDO TRATADO, A QUE ELES DEVEM ATENTAR, ETC. TRABALHE EM PARCERIA E NÃO TENHA VERGONHA, NEM MEDO DE EXPOR A SUA CRIANÇA. O SEU SILÊNCIO NÃO VAI FAZER O PROBLEMA PASSAR DESPERCEBIDO.


4.NÃO SE ISOLE. TROQUE INFORMAÇÕES E EXPERIÊNCIAS COM OUTROS PAIS, SEJA PELA INTERNET, SEJA ORGANIZANDO UM GRUPO DE AUTO-AJUDA, OU SIMPLESMENTE APROVEITANDO AS OCASIÕES DE ENCONTRO. HÁ MILHARES DE PESSOAS ENFRENTANDO PROBLEMAS MUITO PARECIDOS COM OS SEUS. JUNTE-SE A ELAS.


5. CONVERSE COM OS PROFISSIONAIS QUE ACOMPANHAM SEU FILHO. PERGUNTE AO MÉDICO, AO PSICÓLOGO, AO FONOAUDIÓLOGO, AO PROFESSOR O QUE ESTÃO PENSANDO, O QUE ESTÃO OBSERVANDO, SE ESTÁ HAVENDO MELHORAS, PORQUE ESTÃO OPTANDO POR UM DETERMINADO MÉTODO, OU CONDUTA. VOCÊ TEM O DIREITO DE ENTENDER A SITUAÇÃO.



6. COLABORE COM OS PROFISSIONAIS QUE ACOMPANHAM SEU FILHO. SIGA AS SUAS ORIENTAÇÕES EM CASA. COMPAREÇA ÀS REUNIÕES E ÀS CONSULTAS PONTUALMENTE. MOSTRE QUE DESEJA DO FUNDO DO SEU CORAÇÃO QUE AS COISAS MELHOREM E QUE ESTÁ LUTANDO POR ISSO.


7. NÃO SUBESTIME SEU FILHO JAMAIS, NEM ACEITE QUE OUTROS LHE DIGAM ATÉ ONDE ELE PODERÁ CHEGAR NO SEU PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO. A CRIANÇA É UM SER EM TRANSFORMAÇÃO CONSTANTE E QUE RESERVA MUITOS POTENCIAIS DESCONHECIDOS, MAS É PRECISO ACENDER A CHAMA.


8. NÃO PRESSIONE SEU FILHO A TER UM PROGRESSO ALÉM DAQUILO QUE ELE ESTÁ PODENDO CONSEGUIR NO MOMENTO. ISTO GERARIA STRESS, SENSAÇÃO DE FRACASSO E INCAPACIDADE.


A CURTO PRAZO, O SER HUMANO MELHORA SEU DESEMPENHO SOB PRESSÃO, MAS SE ESTA FOR CONSTANTE, PODE LEVAR À PIORA GRADUAL DO APRENDIZADO, DA MEMÓRIA E ATÉ MESMO DA  SAÚDE.


TODOS NÓS APRENDEMOS MELHOR EM UM AMBIENTE CALMO, SEGURO, DE COOPERAÇÃO E, PRINCIPALMENTE, QUANDO SOMOS ESTIMULADOS E SENTIMOS PRAZER NO QUE FAZEMOS.



9. AJUDE SEU FILHO A TER UMA VIDA ORGANIZADA. ELE PRECISA TER UM HORÁRIO PARA SE LEVANTAR, UM HORÁRIO PARA FAZER AS REFEIÇÕES, UM HORÁRIO PARA FAZER AS TAREFAS DA ESCOLA, UM HORÁRIO PARA BRINCAR, UM HORÁRIO PARA DESCANSAR E UM HORÁRIO PARA DORMIR. UMA CRIANÇA QUE PODE FAZER O QUE QUER, NA HORA EM QUE QUER, NÃO APRENDE A SER PONTUAL, A LEVAR A SÉRIO SEUS COMPROMISSOS, A TER DISCIPLINA E TERMINAR SEUS PROJETOS DENTRO DO PRAZO ESTIPULADO. O PROBLEMA É QUE ESTAS QUALIDADES SERÃO FUNDAMENTAIS PARA O SEU DESEMPENHO NA ESCOLA E PARA VENCER AS COMPETIÇÕES NO MERCADO DE TRABALHO. ALÉM DISSO, UMA CRIANÇA QUE SABE O QUE VAI ACONTECER, QUANDO VOLTAR DA ESCOLA PARA CASA, SENTE-SE MAIS SEGURA NO SEU LAR, SENTE QUE OS PAIS ESTÃO PRESENTES E CUIDANDO DELA.


10. USE PEQUENAS FERRAMENTAS DE APOIO COMO UM CALENDÁRIO EM UMA PAREDE BEM VISÍVEL, AGENDA, DIÁRIO PARA PROGRAMAR AS ATIVIDADES DO DIA. TENHA UM LUGAR CALMO E SILENCIOSO PARA A REALIZAÇÃO DAS TAREFAS DA ESCOLA. LÁ DEVEM FICAR OS CADERNOS, A BORRACHA, O LÁPIS E TUDO O MAIS DE QUE A CRIANÇA PRECISAR, ESTANDO CADA COISA EM SEU LUGAR.


11. ESTIMULE SEU FILHO A PARTICIPAR DAS ATIVIDADES DO DIA-A-DIA. A CRIANÇA PODE REALIZAR PEQUENOS SERVIÇOS DOMÉSTICOS, COMO GUARDAR AS ROUPAS LAVADAS NAS GAVETAS, SECAR A LOUÇA, OU TE AJUDAR EM SERVIÇOS MAIS CRIATIVOS, COMO PREPARAR UM BOLO. NESTES MOMENTOS, ELA APRENDERÁ HABILIDADES MUITO IMPORTANTES COMO ORGANIZAÇÃO, PLANEJAMENTO, SEQUENCIAMENTO, TRABALHO EM EQUIPE E COLABORAÇÃO



12. APOSTE NO SEU FILHO. JOGUE AS CARTAS COM O NOME DELE. CONFIE NO SEU POTENCIAL SEMPRE! NÃO IMPORTA SE AS NOTAS ESTÃO BAIXAS, SE ELE NÃO ESTÁ APRENDENDO NADA, SE ESTÁ APRESENTANDO UM ATRASO NO SEU DESENVOLVIMENTO. A SUA CONFIANÇA É A PONTE QUE O CONDUZIRÁ AO FUTURO, ATRAVESSANDO E SUPERANDO AS DIFICULDADES.


13. DESCUBRA O QUE O SEU FILHO TEM DE MELHOR. NÃO EXISTE NINGUÉM QUE NÃO TENHA ALGO A ENSINAR. SEU FILHO TEM HABILIDADES E TALENTOS, TALVEZ NO ESPORTE, TALVEZ NA ARTE, TALVEZ NAS SUAS IDÉIAS ORIGINAIS, NAS SUAS PERCEPÇÕES, ETC. SE VOCÊ NÃO ACHOU NADA AINDA, ENTÃO PROCURE E NÃO PARE ATÉ ENCONTRAR. AÍ ESTARÁ A CHAVE QUE ABRIRÁ AS PORTAS PARA A SUA TRANSFORMAÇÃO.



0 visualização

67-996041996 | 67-996041922 | 67-30371441

Rua: Joaquim Alves Taveira, 2590 - Vila Planalto DOURADOS - MS